terça-feira, 2 de outubro de 2012

A minha primeira meia-maratona


Palavras para quê?
Eu a cortar a meta da minha 1ª meia-maratona
 de mãos dadas com o João Lima e o Jorge Branco
(por Mafalda Lima)
Não sabia bem por onde começar, por isso comecei pelo fim. Às vezes uma imagem vale mais do que 1000 palavras.
Agora seguem-se as 1000 palavras =P

Quinta-feira à tarde fui levantar o meu dorsal com a menina. Correu tudo bem. Gostei de conhecer pessoalmente alguém cujo blog adoro ler e que partilha o mesmo gosto que eu pela corrida.
Conversámos um pouco e combinámos encontrar-nos no dia da prova na "zona onde os autocarros partem para a ponte". Se nos desencontrássemos cada uma seguia o seu caminho e haveríamos de nos encontrar na ponte.
Mal sabíamos a confusão que estaria nesse dia e, principalmente, à hora a que combinámos encontrar-nos (para o ano vou mais cedo).
Na noite de sábado para domingo, como seria de esperar, acordei cedo (mais uma razão para no ano que vem ir mais cedo para a ponte), por volta das 5 da manhã. Andei às voltas na cama e às 7h levantei-me.
Tudo a postos e por volta das 7h50 saí de casa e dirigi-me para o metro.
O metro ia cheio de gente "amarelinha". Alguns a destoar, eu inclusivé que fui de preto.
Algumas pessoas não cabiam dentro do metro e ficavam nas estações.
Chegada ao Oriente procurei uma casa de banho para esvaziar a bexiga antes da prova.
E subi as escadas rolantes.
O que vi assustou-me. Mas também estava à espera de quê? 20000 pessoas inscritas.
Um mar de gente. Mesmo muita gente. Principalmente de amarelo.
Bem que procurei a menina, mas acabei por desistir e dirigi-me para uma das filas gigantes para os autocarros.
A espera, apesar de não ter sido assim tão demorada, deixou-me um bocadinho stressada.
Às 9 e tal finalmente entrei no autocarro que me levaria à ponte.
A vista da ponte valia bem a pena e ainda vi uns flamingos e umas garças.
Ainda dentro do autocarro tive imensa sorte e consegui avistar os meus padrinhos de prova, João Lima e Jorge Branco.
Quando finalmente desci do autocarro apreciei a vista e fui de encontro aos meus padrinhos.
Feitas as apresentações ( e foram-me apresentadas mais pessoas, mas o nervosismo da hora e a memória não me permitem lembrar de todos) expliquei que me tinha desencontrado da menina. Resolvemos esperar até às 10h20. Como não a vimos, fizemos um aquecimento e seguimos para a zona de Partida.
Ainda fui apresentada a mais 3 corredores, Lúcia, Sandra e Nuno.  A Lúcia também se ia estrear na distância. Na linha de Partida também os perdemos e acabámos por seguir só os 3.

E às 10h30 chegou a hora!
Partimos nas calmas, a desviar-nos de vários bonés e algumas garrafas deixadas no chão.
Íamos na conversa e o tempo foi passando quase sem dar por ele.
No Oriente (km 4 ou 5) ouço alguém: "Isa, Isa, Isa". A minha mãe =)
Não estava à espera que ela estivesse ali, porque só tinhamos combinado que ela me iria esperar na Meta, por isso foi um momento que, apesar de logo no ínicio, me deu uma força extra.
O João e o Jorge foram 5* e foram conversando comigo e contando histórias fantásticas sobre as suas vivências e experiências em várias provas.
O João Lima ia dizendo que a minha respiração estava boa, o que era bom sinal.
Por volta do km 6 ou 7 passaram por nós os primeiros atletas em cadeira de rodas e por volta do km 8 ou 9 ( talvez tenha sido o 10, já não tenho a certeza, o que é certo é que foi bastante cedo...) passaram por nós os primeiros quenianos. Impressionante!
Quando chegámos ao km 10 eu sentia-me muito bem e fiquei até um pouco espantada por já irmos no km 10. É o que dá ir na "galhofa" com o João e o Jorge. Nem se dá pelo tempo a passar.

Ah, é verdade. As bandas! Serviu para distrair e para tornar a prova mais alegre, mas como ia algo concentrada  na corrida em si, sinto que não prestei a devida atenção às diversas bandas e animadores de rádio. A única música que me lembro de ouvir e de cantarolar muito baixinho (acho que os padrinhos nem ouviram...) foi uma do Prince.
Perto de Santa Apolónia havia um viaduto cuja subida não custou assim tanto (na ida, porque na volta já custou mais um bocadinho) e passado um pouco era o local onde se dava a volta.
No dia anterior tinha combinado com o meu pai e ele iria estar à minha espera nesse ponto onde se dava a volta. Só que, por erro meu, eu disse-lhe que esse sítio iria ser no Cais do Sodré ou no Terreiro do Paço.
Ele perguntou-me a que horas eu estimava passar por lá e eu disse meio-dia. E de facto ao meio-dia eu estava a dar a volta, só que era bem antes de chegar ao Cais do Sodré e um pouco antes do Terreiro do Paço. Como tal não o vi e mais tarde, quando falei com ele, disse-me que ainda tinha ido até à zona de Santa Apolónia só que já eram 12h20 e já não me apanhou. Foi pena.

Entretanto já ia mais cansada, como seria de esperar, e por volta do km 15 tive uma ligeira quebra, embora, em momento algum, tenha pensado em parar.
Também por volta desta altura o Jorge distanciou-se um pouco de nós, embora tenha seguido quase sempre no nosso raio de visão e de vez em quando olhasse para trás para confirmar que estava tudo bem.
A partir para aí do km 17 ou 18 já ia a pensar que o raio da Meta já aparecia...
Mas, apesar de tudo, sentia-me relativamente bem.
O João distraiu-me e isso ajudou a não pensar tanto nos km's que ainda poderiam faltar.
Por outro lado, o facto do Jorge ir uns metros à frente fez com que eu tentasse não ficar muito para trás e fui tentanto manter sempre o Jorge debaixo de vista, mas no último km perdemo-lo mesmo de vista.
Ainda sorrimos para a fotografia algures no km 18 ou 19.
Por esta altura o João também me perguntou se eu ia bem. Disse que sim, mas que as pernas já vinham a acusar o cansaço. Ele disse que era normal, mas que agora já estávamos quase a chegar.
Eu disse que não ia parar.
Já no km 20 o João perguntou-me se eu conseguia acelerar um bocado para acabarmos em grande estilo, mas eu disse "só um bocadinho" e lá acelerámos um pouco e uns metros à frente lá estava o Jorge às "voltas". Estava à nossa espera. Deu-me logo mais um pouco de motivação.
Já se via a Meta!

Caraças! Eu estava prestes a acabar a minha primeira meia-maratona!!!!!
E sem nunca ter parado ou andado!

Juntos, de mãos dadas e braços levantados cruzámos a Meta!!!

2h32m39s (tempo do chip)

Acho que não me apercebi bem do "feito". Parece que foi tudo tão rápido.
Ainda hoje, dois dias depois, parece que ainda não consigo acreditar que corri uma meia-maratona.
Eu que há 6 meses atrás corria uma mini-maratona a custo e dizia para o meu pai, "para o ano corro a meia-maratona". E afinal 6 meses depois aqui estou eu a correr uma meia-maratona.

Terminada a prova ainda posamos para algumas fotografias.
Recolhemos as nossas medalhas e mochilas.
Encontrei-me com a minha mãe.
Troquei mais umas palavras com os meus queridos padrinhos e com a mulher do João Lima, Mafalda Lima, que também nos tirou umas fotos.
E despedi-me.
Estava meio abananada e nem sei se cheguei a agradecer convenientemente.

Mas vocês sabem que vos agradeço do fundo do coração!
Pelo apadrinhamento, pela companhia, pelas histórias, pelo incentivo e força. Pelas gargalhadas, pelos sorrisos. Pelos conselhos. Por terem acreditado em mim. Por tudo!
Acreditem que sem vocês não teria sido a mesma coisa.
Sabe-se lá se me teria aguentado. Mas mesmo que me aguentasse, provavelmente teria sido mais lenta (mais lenta ainda do que aquilo que fui, hihihi). E, mais importante, não teria sido uma experiência tão divertida e tão enriquecedora.

Por tudo isto e muito mais:

Muito obrigado João e Jorge!
Um grande beijinho!

Agora, quero ainda agradecer a todos aqueles que deixaram aqui no blog mensagens de força e que acreditaram em mim, mesmo sem me conhecerem de lado nenhum.
Vocês são uns fixes! =P

É com muito gosto que ainda digo que as outras duas estreantes numa Meia, a menina e a Lúcia também terminaram a prova!
Muitos parabéns!

Depois da prova não fui ver Xutos, embora o João ainda me tenha chamado a atenção, ainda durante a corrida, para a música que já se ouvia.
Desculpem lá Xutos!
Mas o almoço esperava-me em casa. E principalmente um banho!
À tarde dormi uma bela sesta e à noite adormeci mal me deitei na cama e só acordei cerca de 10 horas depois!

Ontem (e hoje também) acordei um bocado dorida, mas isso esquece-se rapidamente depois de me lembrar que CORRI UMA MEIA-MARATONA!

Podem ter a certeza que quero correr muitas mais meias-maratonas =)
E, sim, um dia vou querer correr uma maratona.
O que está dito, está dito. E eu não sou pessoa de voltar atrás com as palavras.

É a loucura! Isto deve ser tudo da adrenalina de ter corrido uma meia-maratona.

Mais umas fotos e vou-me calar por aqui, esperando não me estar a esquecer de nada.

O meu dorsal e a minha medalha.
É tão linda, não é?

Boa semana!
Bons treinos!

p.s. Estou quase quase a acabar a tese (mais 2 semanas, no máximo). Podem ter a certeza que correr a meia-maratona rock and roll é bem mais fácil do que escrever uma tese =P

19 comentários:

  1. Lindo e emocionante texto, Isa, e que reflecte bem tudo o que foi essa fantástica manhã que vai ficar bem gravada no nosso baú de memórias.

    E fica bem registada na memória a frase "um dia vou querer correr uma Maratona"! Pelo que vi no domingo, correndo há tão pouco tempo e tendo feito a Meia tão bem, não duvido que o consigas!

    Venham as próximas e o record dos 10 no Tejo (abaixo da hora)

    Força!

    PS - Sim, confirmo que não ouvi cantarolares o Prince :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada João.
      Diz bem, foi uma fantástica manhã!Inesquecível!
      Pois, agora é o record na Corrida do Tejo. Vai correr bem =)
      Beijinhos e força com os treinos para a maratona!

      Eliminar
  2. PARABÉNS!
    Para mim foi uma imensa felicidade por ter dado o meu pequeno contributo para a tua primeira meia maratona!
    Nunca tinha ajudado ninguém a fazer a sua primeira meia maratona e foi uma experiência única e inesquecível!
    Não tenho dúvidas que vais ser maratonista e fazer muitas coisas bonitas na corrida e realizar muitos sonhos! Tens toda uma vida de corredora pela frente e um longo caminho a percorrer. Tudo de bom para ti Isa e cá estamos para ajudar-mos no que podermos e soubermos. Sou fã de uma revista, a Spiridon, que tem como divisa máxima: CORREDORES AOS SERVIÇO DE CORREDORES...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Jorge!
      Fico feliz por também ter sido uma experiência inesquecível para si.
      Obrigada por tudo!
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Parabéns!! Gostei muito do teu relato (tenho de ver se hoje acabo o meu, que eu quero escrever tudo para não me esquecer! :D)

    Engraçado, acabámos por não fazer a prova juntas mas tivemos muitos dos mesmo pensamentos! Por exemplo, o viaduto para lá também não me custou nada, mas para cá já doeu um bocadinho... ;p (e aquela subida logo ao início que te tinha dito que me preocupava nem dei por ela!)

    A primeira já está, agora venham as outras! :)

    Beijinhos grandes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!
      É a nossa primeira meia-maratona, é natural que queiramos escrever todos os pormenores =)
      Sim, a subida logo ao ínicio foi como se não existisse.
      Agora que experimentámos isto, não queremos outra coisa!
      Beijocas

      Eliminar
  4. Parabéns Isa!

    Fiquei super contente por teres feito a meia maratona e teres tido a companhia do Jorge Branco e João Lima melhor ainda, são pessoas fantásticas.
    O Jorge Branco já te deve ter contado que é meu padrinho na Maratona :-)

    Tenho andado um pouco ausente das minhas leituras de blog e por isso nem sabia que ias fazer a Meia, perdoa-me não te ter vindo aqui dizer alguma coisa.

    Quanto ao nervosismo é natural. A minha primeira prova de estrada foram só 10kms, a Corrida do Tejo, por isso apesar de ser cara (é um roubo!!!) não deixo de ir ....todos os anos.
    Lembro-me que também estava nervosa, mas o que tu sentiste e que li foi muito parecido com o que senti na minha primeira Maratona!

    Agora é só continuar e temos mesmo que combinar um treino juntas.... estou mesmo pertinho de ti...

    Beijinho e FORÇA!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Henriqueta!

      Não tem problema nenhum. E obrigada!
      Também vai à Corrida do Tejo este ano?
      Eu vou. Talvez nos encontremos nesse dia.

      A ver se uma dia destes deixo um comentário no seu blog para combinarmos então um treino juntas =)

      Eliminar
    2. Vou à do Tejo e vou à da Água ;) Já vi que também vais... por isso vamos lá a ver se nos encontramos :-)

      Eliminar
  5. Muitos parabéns Isa, quer pela estreia quer pelo desempenho. O relógio pouco interessa, pois o importante é absorver-mos todo o prazer que a corrida dos traz. Que venham muitas mais meias e até maratonas.
    Beijinhos e bons kms.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Tiago!
      E eu absorvi tudo =)
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Parabéns ,sei bem o que senti com a minha primeira meia é uma grande alegria.Espero que continue pois a corrida é uma terapia única .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada.
      Foi de facto uma grande alegria e um grande orgulho.
      O meu desejo é continuar sempre a correr =)

      Eliminar
  7. Estive lá a assistir e vi-os passar, não reparei na Isa que seguia com o João e o Jorge, nem tal me passou pela cabeça, depois quis registar o momento e a máquina não me ajudou. Gosto de fazer meias maratonas mas esta nunca entrou no meu plano de provas pelo simples facto de se chamar Vasco da Gama e não termos a possibilidade de a atravessarmos de um lado ao outro, aguardo que o façam para então me estrear. Fico muito contente com o sucesso da estreia, estes 2 amigos que estiveram ao seu lado são do melhor que há na corrida para ajudar e animar, foi uma sorte tê-los encontrado, sem me comparar a eles teria também muito gosto em correr a seu lado, quem sabe se na estreia da Maratona o possa fazer se ainda as forças me permitirem, foi dito está dito. Um beijinho do Pára e os parabéns pela conquista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu lembro-me de o ver. Foi logo nos primeiros km's.
      De facto o nome da prova é enganador. Seria mais interessante podermos percorrer a ponte de um lado ao outro. Mesmo assim já gostei muito ter corrido numa parte da ponte Vasco da Gama.
      O João e o Jorge foram excelentes.
      Terei muito gosto em correr consigo um dia, quem sabe na minha estreia na maratona :)
      Obrigada e um beijinho também para si.

      Eliminar
  8. Parabéns por esta grande estreia!!!
    Que venham mais Meias... ;)
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Isa,

    Não te conheço nem sequer conhecia este blog. Apesar disso, não consigo ficar insensível à tua alegria contagiante por teres alcançado esse feito magníifico que foi teres completado a tua primeira meia maratona.
    Dou-te os parabéns pelo facto de teres superado esse objectivo com sucesso e por teres tido a sorte de encontrar dois bons companheiros que tornaram a "viagem" mais leve (o Jorge e o João Lima).
    Espero que continues com essa alegria e tenho a certeza de que, se nada de estranho acontecer, no próximo ano já estarás em condições de te estrear na maratona. Se for no Porto, é altamente provável que nos encontremos nessa altura.

    bjs
    MPaiva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!
      Eu quero continuar a correr. E, se tudo correr bem, quem sabe se não me estreio no próximo ano ou no seguinte.
      Bjs e bons treinos!

      Eliminar