segunda-feira, 29 de maio de 2017

Corrida de Alverca, dura e variada

21.05.2017

Com uma corrida quase à porta de casa claro que não podíamos deixar de marcar presença.
Seriam 10 km por Alverca e com passagem pela pista de aviação, o que foi bastante interessante.
Para além disso iríamos reunir uns quantos elementos da equipa :)

João, Aurélio, Orlando, Luís, Marta, eu e Vitor.
Grande equipa! =)

Foi muito bom rever estes amigos em ambiente de festa.
A prova começou na zona da Malvarosa, em Alverca, com muita música e muito colorido.

Eu e o Vítor tínhamos planeado fazer um tempo à volta dos 54 minutos, o percurso era algo difícil por isso não havia pretensões de recordes. 

Começámos bastante rápido, demasiado rápido...mas depressa quebrei...Íamos nós com cerca de 4 km e comecei a perder gás, ainda nem tínhamos passado o viaduto para o lado da pista de aviação!
Ainda por cima o sol abriu e ficou bastante abafado. Já na pista, nem com 5 km, já o Vitor me ia a perguntar se estava tudo bem comigo, dado que reduzi substancialmente a velocidade. Não, não ia bem. Ainda por cima na pista, a céu aberto, ao sol e a correr em cima de alcatrão...ui...estava mesmo quente! Ainda apreciei a paisagem ao nosso redor, inclusive com dois aviões já meio abandonados. Depois iniciámos o regresso por uma zona de terra o que ainda fez com que diminuísse mais a velocidade e depois o ponto alto da corrida. Um voluntário muito alegre que dava força aos atletas, estendia a mão e dizia "Bate aqui se estás feliz!". Eu bati e não consegui evitar o sorriso. Ele disse logo "Ah afinal estás feliz!", portanto a minha cara devia mostrar bem o meu esforço...eheheh :) Mas a correr estou sempre feliz =)

No final ainda havia uma boa subida onde nos cruzámos com o Nuno Moreira, atleta e um dos organizadores da prova.

Cruzámos a meta com 56m03s. Um pouco abaixo das nossas expectativas iniciais, mas dado o calor e dada a quebra que tive a meio até que não foi mau de todo.

No final uma maçã e uns bolinhos. Mas os melhores foram mesmo os bolinhos que deram ao levantarmos os dorsais...Eu e o Vitor fomos buscar os dorsais numa 5ª feira a seguir ao jantar, antes de irmos para a cama já tínhamos comido os bolinhos todos....mhan mhan mhan...eram mesmo bons!!!

Foi uma boa manhã de corrida e foi muito bom rever estes amigos :)

Depois desta prova os treinos seguintes foram espectaculares!
Na terça-feira voltámos a fazer 10 km, desta vez em 58m40s. Em treino para nós é excelente! 
Na quarta fizemos um treino muito ligeiro de corrida e depois fomos treinar escadas, sobe e desce várias vezes, e no final vários exercícios de reforço muscular aqui por casa, abdominais, pranchas, agachamentos, etc
Na quinta mais 10 km e ainda mais rápidos que na terça, em 57m49s.
E para terminar a semana em beleza, um treino por trilhos. Mas sobre este treino faremos posteriormente um relato à parte ;)
Até porque há uma missão a decorrer... ;)

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Maratona de Madrid, a 8ª foi espectacular!

23.04.2017
Sorrisos que dizem tudo.

Foi assim que terminámos a nossa oitava maratona, com sorrisos de alegria e com um sentimento de orgulho. Foi mais uma viagem maravilhosa, desta vez em Madrid :)

A nossa viagem começou na sexta à noite na estação de comboios do Oriente. A ideia inicial era ir de avião mas uns meses antes já não haviam voos para sábado de manhã, assim optámos pelo comboio por nos permitir levantar e até caminhar um pouco se assim o quiséssemos. 
Não é muito cómodo e não dá para descansar muito, mas no dia seguinte já tínhamos planeado ficar a tarde toda a descansar no quarto de hotel.

Nesta maratona tivemos a presença do meu pai que, tal como eu, é um apaixonado por Madrid :)
Não foi conosco nem regressou conosco, mas tivemos juntos por lá e foi o nosso (e de muitos outros portugueses) maior apoiante ao longo da maratona! 

No comboio a caminho de Madrid.
Na estação de Chamartin com o comboio e as Quatro Torres atrás.

Chegados a Madrid já tínhamos o meu pai à nossa espera e fomos logo tomar o pequeno-almoço. Depois disto seguimos para o hotel e o meu pai foi passear. Depois de instalados fomos até à Feria de Madrid levantar os dorsais e almoçar à Pasta Party.

À porta da Feira.
Já com o meu dorsal.
E fiz questão de ir com uma t-shirt da minha terra: Oeiras :)
O Vitor com o seu dorsal.
Na zona da Pasta Party,

A Pasta Party não estava má mas comparada com a da Maratona do Porto ou com o esparguete à bolonhesa do meu pai...ui...ainda tem muitos km's que caminhar =P

Abaixo uma pequena exposição das camisolas de todas as edições da Maratona de Madrid. Esta foi uma edição especial, foi a 40ª!




Após levantarmos os dorsais e almoçarmos, fomos só ter com o meu pai para lhe darmos um mapa da maratona com as estações de metro mais próximas dos vários pontos do percurso e depois fomos descansar para o hotel onde aproveitámos para fazer uma siesta ;)
Acordámos só para jantar, preparámos as coisas para o dia seguinte e deitámos cedo. Eu pelo menos deitei-me porque houve alguém que só descansou depois do Sporting-Benfica ter terminado ;)

E chega então o grande dia. 

Não me perguntem porquê mas senti-me sempre descontraída nos dias anteriores à maratona, mas assim que chegou o dia....sentia o estômago às voltas. Tinha chegado o dia! Com 7 maratonas já há mais confiança mas o sentimento de ansiedade e nervosismo mantém-se sempre. Cada dia é um dia, cada prova é uma prova. E ainda por cima esta seria algo difícil devido ao seu traçado e também ao algum calor que se faria sentir. Mas, claro, íamos dar o nosso melhor! Temos sempre que ter em mente que é um privilégio correr e um privilégio ainda maior correr no estrangeiro, por isso há que aproveitar e viver cada segundo ao máximo.

Encontrámo-nos com o meu pai junto à Plaza de Cibeles onde seria a partida da prova.

O casalito prestes a correr a sua 8ªmaratona.
Com o meu pai vestido a rigor com a camisola do Benfica!
E ainda tinha um cachecol de Portugal!!! =)


Dirigimo-nos para o cajon 7, o nosso "cajon". Ora, a partida era no Paseo del Prado que é a subir desde a estação da Atocha até à Plaza de Cibeles e o cajon 7 era cá mais em baixo, já quase na Atocha. Resumindo, começámos logo a subir e no final esta era uma das partes que iríamos...subir.

Momentos antes da partida.
O cajon 7 no Paseo del Prado.

E então foi dada a partida! Começámos a andar mas devagar e com algumas paragens, já só mais acima, entre a Plaza de Neptuno e a de Cibeles é que começámos a correr e "a coisa" só começou oficialmente quando passámos o pórtico em Cibeles.
AI CA MEDO! Agora é que vão ser elas!

Os primeiros km's fizeram-se bem, apesar da ligeira inclinação. Aos 3 km, em Nuevos Ministerios, estava o meu pai a puxar por nós. Mais acima, passámos junto ao Estádio Santiago Bernabeu e já estávamos muito perto das Torres KIO onde o meu pai nos tinha dito que também estaria.

Estádio Santiago Bernabeu, o estádio do Real Madrid
A subir o Paseo de Castellana com as Torres KIO em frente
e ao meio e mais atrás as Quatro Torres

Chegados às Torres, ao km 5, a primeira subida da prova tinha terminado e nós mal déramos por ela :)
Quanto ao meu pai não chegara a tempo, fomos demasiado rápidos =P
No entanto ele estaria um pouco mais à frente à nossa espera, por volta do km 8 talvez:

ESPECTÁCULO!
O meu pai vestido a rigor!

Íamos agora numa zona que alternava zona plana com descida. Que bem que soube! Nalgumas descidas íamos a correr a 5 e poucos min/km. 

video

O ambiente era fantástico! Muita mas muita gente a apoiar! Os espanhóis fazem a festa toda! Como agora temos a bandeira portuguesa na camisola da equipa, alguns espanhóis diziam "Força Portugal!", alguns gritavam mesmo com alma e sentimento. Espectacular! É por isto que uma maratona será sempre uma maratona, não só pela distância mas por toda a festa que se vive.
E vimos uma coisa fantástica. Polícias a dar algumas garrafas de água a atletas!





Entretanto já íamos com cerca de 18 km e a passar junto à Puerta del Sol e a festa era incrível.
Para além de muita gente a apoiar, também havia várias bandas ao longo do percurso, ou não seja esta uma Maratona Rock and Roll :)

video

Ao km 20 corremos junto ao Palácio Real e passámos à meia-maratona com uma boa média, mantendo assim até daria para batermos o nosso recorde à maratona, mas sabíamos que os km's finais iriam estragar esta média. Mas isso no fundo era o menos importante, interessava era terminar e aproveitar bem a viagem :)

Pouco depois do pórtico da meia, talvez por volta do km 22 na zona de Moncloa, estava novamente o meu pai a agitar o cachecol de Portugal. Também ele neste dia fez quase uma maratona :) Andou de um lado para o outro, para nos apoiar em várias zonas. No final disse-nos que também para ele foi uma grande festa, pois vários portugueses quando o viam ficavam muito contentes ao ver o cachecol de Campeões da Europa! E também houve vários a gritarem pelo Benfica!!! =)

Depois de Moncloa começámos a descer em direcção à Casa de Campo, uma grande zona verde de Madrid. 


Casa de Campo

Já íamos com 20 e muitos km's e apesar de algumas zonas com sombras o calor fazia-se sentir. Aos poucos a coisa começou a custar um pouco mais mas ainda queríamos chegar aos 30 km com um melhor tempo que o nosso recorde. E assim foi, passámos no pórtico dos 30 km com 3h04m! E segundo os nossos relógios o Vitor fez 30 km em 3h02m48s! E eu em 3h03m12s!
Foi muito bom tendo em conta a dificuldade da prova com os km's iniciais ligeiramente a subir e com algum sobe e desce ao longo da prova.

Ao km 31 estava o meu pai e mais música, a banda sonora era a inevitável "Highway to Hell"! =)

video

Pouco depois estávamos a passar a ponte junto ao Estádio Vicente Calderón e a preparar-nos para a longa subida...

Estádio Vicente Calderón, o estádio do Atlético de Madrid

A subida era por etapas, lembro-me de uma curta mas inclinada, ali apetecia tanto andar um bocado...mas conseguimos resistir. Era praticamente inevitável caminhar a certa altura, mas pelo menos queríamos adiar ao máximo esse momento.

Já estava a custar mas o ambiente era incrível, a festa era fantástica. Só me apetecia sorrir apesar dos 30 e tal quilómetros nas pernas.
Estávamos quase a chegar à Atocha e ao km 37 e continuávamos sempre a correr, embora claramente numa passada mais lenta. Passámos por um atleta português, penso que da Póvoa do Varzim ou de Vila do Conde e demos-lhe força, mais à frente havia de ser ele a passar por nós e a dar-nos força :)
Ao longo da prova foram vários os portugueses por quem passámos e claro que houve sempre trocas de palavras. É sempre bom ver um português lá fora :)

Entrávamos agora na longa subida desde a Atocha até à Plaza de Cibeles, continuando depois ainda a subir ligeiramente pelo Paseo da Castellana, tudo sítios por onde passámos nos primeiros km's na prova. Sabia que ia acabar por andar, estava apenas a adiar o inevitável. Comentámos os dois que já nos apetecia tanto mas tanto começar a caminhar, mas por outro lado sentíamos que iríamos desiludir a multidão. Sim, na longa subida, ao km 37 e 38 havia imensa gente a fazer autênticos corredores de gente (quase que parecia à Volta a França), a gritar por nós, a gritar que éramos todos uns heróis, que já faltava pouco! Quem tinha coragem para começar a andar ali? Nós não!

E assim lá fomos correndo mas cada vez mais a arrastar-nos. A uns 100 m da marca do km 38 não aguentámos mais e teve mesmo que ser, caminhámos um pouco.

O problema de caminhar numa maratona é que depois de caminharmos uma vez, é certo que vamos caminhar mais vezes e assim foi até à meta. Ora corríamos, ora caminhávamos. Daí o termos adiado ao máximo. Mesmo assim foi o suficiente para perdemos minutos preciosos. Não tenho dúvidas que se a parte final desta maratona fosse plana tínhamos continuado a correr e até batido o recorde. Mas isso são pormenores porque numa maratona a festa vale por tudo!

A fazermos a festa já perto do km 40 =)

Mesmo depois de terminada a longa subida, ainda havia mais uma subidita ou outra. Nada de especial mas para quem tinha mais de 40 km nas pernas...Ufa! =P

Mas já cheirava a meta!
O lindíssimo Parque do Retiro estava já à vista!
Com 41 km e picos entrámos no parque, muitos voluntários, muita gente a gritar.
Tinha chegado aquele momento de emoções mistas. O momento em que por um lado ficamos aliviados por ter terminado, mas por outro temos pena que já esteja a acabar. É isto uma maratona, uma mistura de emoções que não dá para pôr em palavras. Por um lado alegria e entusiasmo, por outro sofrimento e dor. Adoro correr várias distâncias mas a maratona é aquela coisa que não tem explicação.
É muito mais do que apenas a "nossa" maratona, é também ver e sentir a maratona dos outros. Vermos a alegria nos olhos e sorrisos dos outros atletas, alguns correndo a sua primeira, outros já veteranos nisto. Ao mesmo tempo vermos coisas que nos tocam muito, como alguém de cadeira de rodas a ser empurrado e a certa altura, por volta do km 30, levantarem-no e ajudarem-no a dar uns passos na sua maratona. São momentos bonitos e tocantes. É isto uma maratona.
 
A uns metros da meta e já com a nossa bandeira nas mãos.

Aquele momento em que se avista o pórtico é mágico. 

4h34m20s depois cruzamos a meta!!!

Estamos super satisfeitos. Mais uma vitória. E com um excelente tempo para as nossas capacidades. Numa maratona com este traçado não é fácil fazer um grande tempo, mesmo assim consegui o meu segundo melhor tempo e o Vítor o seu 3º melhor :) E apesar das dificuldades, percurso duro e calor, fizemos apenas mais  11 minutos que o nosso recorde.

No final uma bonita medalha e o reencontro com o meu pai.


Foi um dia inesquecível e maravilhoso.
À tarde aproveitámos para desentorpecer as pernas andando mais uns km's pela cidade :)
Foram uns dias muito bons em Madrid. E a maratona...sem dúvida que a recomendamos.

Até à próxima aventura!

O casalito octo-maratonista, vestido com as t-shirts da prova,
junto ao símbolo de Madrid "El Oso e el Medroño"