segunda-feira, 15 de maio de 2017

Maratona de Madrid, a 8ª foi espectacular!

23.04.2017
Sorrisos que dizem tudo.

Foi assim que terminámos a nossa oitava maratona, com sorrisos de alegria e com um sentimento de orgulho. Foi mais uma viagem maravilhosa, desta vez em Madrid :)

A nossa viagem começou na sexta à noite na estação de comboios do Oriente. A ideia inicial era ir de avião mas uns meses antes já não haviam voos para sábado de manhã, assim optámos pelo comboio por nos permitir levantar e até caminhar um pouco se assim o quiséssemos. 
Não é muito cómodo e não dá para descansar muito, mas no dia seguinte já tínhamos planeado ficar a tarde toda a descansar no quarto de hotel.

Nesta maratona tivemos a presença do meu pai que, tal como eu, é um apaixonado por Madrid :)
Não foi conosco nem regressou conosco, mas tivemos juntos por lá e foi o nosso (e de muitos outros portugueses) maior apoiante ao longo da maratona! 

No comboio a caminho de Madrid.
Na estação de Chamartin com o comboio e as Quatro Torres atrás.

Chegados a Madrid já tínhamos o meu pai à nossa espera e fomos logo tomar o pequeno-almoço. Depois disto seguimos para o hotel e o meu pai foi passear. Depois de instalados fomos até à Feria de Madrid levantar os dorsais e almoçar à Pasta Party.

À porta da Feira.
Já com o meu dorsal.
E fiz questão de ir com uma t-shirt da minha terra: Oeiras :)
O Vitor com o seu dorsal.
Na zona da Pasta Party,

A Pasta Party não estava má mas comparada com a da Maratona do Porto ou com o esparguete à bolonhesa do meu pai...ui...ainda tem muitos km's que caminhar =P

Abaixo uma pequena exposição das camisolas de todas as edições da Maratona de Madrid. Esta foi uma edição especial, foi a 40ª!




Após levantarmos os dorsais e almoçarmos, fomos só ter com o meu pai para lhe darmos um mapa da maratona com as estações de metro mais próximas dos vários pontos do percurso e depois fomos descansar para o hotel onde aproveitámos para fazer uma siesta ;)
Acordámos só para jantar, preparámos as coisas para o dia seguinte e deitámos cedo. Eu pelo menos deitei-me porque houve alguém que só descansou depois do Sporting-Benfica ter terminado ;)

E chega então o grande dia. 

Não me perguntem porquê mas senti-me sempre descontraída nos dias anteriores à maratona, mas assim que chegou o dia....sentia o estômago às voltas. Tinha chegado o dia! Com 7 maratonas já há mais confiança mas o sentimento de ansiedade e nervosismo mantém-se sempre. Cada dia é um dia, cada prova é uma prova. E ainda por cima esta seria algo difícil devido ao seu traçado e também ao algum calor que se faria sentir. Mas, claro, íamos dar o nosso melhor! Temos sempre que ter em mente que é um privilégio correr e um privilégio ainda maior correr no estrangeiro, por isso há que aproveitar e viver cada segundo ao máximo.

Encontrámo-nos com o meu pai junto à Plaza de Cibeles onde seria a partida da prova.

O casalito prestes a correr a sua 8ªmaratona.
Com o meu pai vestido a rigor com a camisola do Benfica!
E ainda tinha um cachecol de Portugal!!! =)


Dirigimo-nos para o cajon 7, o nosso "cajon". Ora, a partida era no Paseo del Prado que é a subir desde a estação da Atocha até à Plaza de Cibeles e o cajon 7 era cá mais em baixo, já quase na Atocha. Resumindo, começámos logo a subir e no final esta era uma das partes que iríamos...subir.

Momentos antes da partida.
O cajon 7 no Paseo del Prado.

E então foi dada a partida! Começámos a andar mas devagar e com algumas paragens, já só mais acima, entre a Plaza de Neptuno e a de Cibeles é que começámos a correr e "a coisa" só começou oficialmente quando passámos o pórtico em Cibeles.
AI CA MEDO! Agora é que vão ser elas!

Os primeiros km's fizeram-se bem, apesar da ligeira inclinação. Aos 3 km, em Nuevos Ministerios, estava o meu pai a puxar por nós. Mais acima, passámos junto ao Estádio Santiago Bernabeu e já estávamos muito perto das Torres KIO onde o meu pai nos tinha dito que também estaria.

Estádio Santiago Bernabeu, o estádio do Real Madrid
A subir o Paseo de Castellana com as Torres KIO em frente
e ao meio e mais atrás as Quatro Torres

Chegados às Torres, ao km 5, a primeira subida da prova tinha terminado e nós mal déramos por ela :)
Quanto ao meu pai não chegara a tempo, fomos demasiado rápidos =P
No entanto ele estaria um pouco mais à frente à nossa espera, por volta do km 8 talvez:

ESPECTÁCULO!
O meu pai vestido a rigor!

Íamos agora numa zona que alternava zona plana com descida. Que bem que soube! Nalgumas descidas íamos a correr a 5 e poucos min/km. 

video

O ambiente era fantástico! Muita mas muita gente a apoiar! Os espanhóis fazem a festa toda! Como agora temos a bandeira portuguesa na camisola da equipa, alguns espanhóis diziam "Força Portugal!", alguns gritavam mesmo com alma e sentimento. Espectacular! É por isto que uma maratona será sempre uma maratona, não só pela distância mas por toda a festa que se vive.
E vimos uma coisa fantástica. Polícias a dar algumas garrafas de água a atletas!





Entretanto já íamos com cerca de 18 km e a passar junto à Puerta del Sol e a festa era incrível.
Para além de muita gente a apoiar, também havia várias bandas ao longo do percurso, ou não seja esta uma Maratona Rock and Roll :)

video

Ao km 20 corremos junto ao Palácio Real e passámos à meia-maratona com uma boa média, mantendo assim até daria para batermos o nosso recorde à maratona, mas sabíamos que os km's finais iriam estragar esta média. Mas isso no fundo era o menos importante, interessava era terminar e aproveitar bem a viagem :)

Pouco depois do pórtico da meia, talvez por volta do km 22 na zona de Moncloa, estava novamente o meu pai a agitar o cachecol de Portugal. Também ele neste dia fez quase uma maratona :) Andou de um lado para o outro, para nos apoiar em várias zonas. No final disse-nos que também para ele foi uma grande festa, pois vários portugueses quando o viam ficavam muito contentes ao ver o cachecol de Campeões da Europa! E também houve vários a gritarem pelo Benfica!!! =)

Depois de Moncloa começámos a descer em direcção à Casa de Campo, uma grande zona verde de Madrid. 


Casa de Campo

Já íamos com 20 e muitos km's e apesar de algumas zonas com sombras o calor fazia-se sentir. Aos poucos a coisa começou a custar um pouco mais mas ainda queríamos chegar aos 30 km com um melhor tempo que o nosso recorde. E assim foi, passámos no pórtico dos 30 km com 3h04m! E segundo os nossos relógios o Vitor fez 30 km em 3h02m48s! E eu em 3h03m12s!
Foi muito bom tendo em conta a dificuldade da prova com os km's iniciais ligeiramente a subir e com algum sobe e desce ao longo da prova.

Ao km 31 estava o meu pai e mais música, a banda sonora era a inevitável "Highway to Hell"! =)

video

Pouco depois estávamos a passar a ponte junto ao Estádio Vicente Calderón e a preparar-nos para a longa subida...

Estádio Vicente Calderón, o estádio do Atlético de Madrid

A subida era por etapas, lembro-me de uma curta mas inclinada, ali apetecia tanto andar um bocado...mas conseguimos resistir. Era praticamente inevitável caminhar a certa altura, mas pelo menos queríamos adiar ao máximo esse momento.

Já estava a custar mas o ambiente era incrível, a festa era fantástica. Só me apetecia sorrir apesar dos 30 e tal quilómetros nas pernas.
Estávamos quase a chegar à Atocha e ao km 37 e continuávamos sempre a correr, embora claramente numa passada mais lenta. Passámos por um atleta português, penso que da Póvoa do Varzim ou de Vila do Conde e demos-lhe força, mais à frente havia de ser ele a passar por nós e a dar-nos força :)
Ao longo da prova foram vários os portugueses por quem passámos e claro que houve sempre trocas de palavras. É sempre bom ver um português lá fora :)

Entrávamos agora na longa subida desde a Atocha até à Plaza de Cibeles, continuando depois ainda a subir ligeiramente pelo Paseo da Castellana, tudo sítios por onde passámos nos primeiros km's na prova. Sabia que ia acabar por andar, estava apenas a adiar o inevitável. Comentámos os dois que já nos apetecia tanto mas tanto começar a caminhar, mas por outro lado sentíamos que iríamos desiludir a multidão. Sim, na longa subida, ao km 37 e 38 havia imensa gente a fazer autênticos corredores de gente (quase que parecia à Volta a França), a gritar por nós, a gritar que éramos todos uns heróis, que já faltava pouco! Quem tinha coragem para começar a andar ali? Nós não!

E assim lá fomos correndo mas cada vez mais a arrastar-nos. A uns 100 m da marca do km 38 não aguentámos mais e teve mesmo que ser, caminhámos um pouco.

O problema de caminhar numa maratona é que depois de caminharmos uma vez, é certo que vamos caminhar mais vezes e assim foi até à meta. Ora corríamos, ora caminhávamos. Daí o termos adiado ao máximo. Mesmo assim foi o suficiente para perdemos minutos preciosos. Não tenho dúvidas que se a parte final desta maratona fosse plana tínhamos continuado a correr e até batido o recorde. Mas isso são pormenores porque numa maratona a festa vale por tudo!

A fazermos a festa já perto do km 40 =)

Mesmo depois de terminada a longa subida, ainda havia mais uma subidita ou outra. Nada de especial mas para quem tinha mais de 40 km nas pernas...Ufa! =P

Mas já cheirava a meta!
O lindíssimo Parque do Retiro estava já à vista!
Com 41 km e picos entrámos no parque, muitos voluntários, muita gente a gritar.
Tinha chegado aquele momento de emoções mistas. O momento em que por um lado ficamos aliviados por ter terminado, mas por outro temos pena que já esteja a acabar. É isto uma maratona, uma mistura de emoções que não dá para pôr em palavras. Por um lado alegria e entusiasmo, por outro sofrimento e dor. Adoro correr várias distâncias mas a maratona é aquela coisa que não tem explicação.
É muito mais do que apenas a "nossa" maratona, é também ver e sentir a maratona dos outros. Vermos a alegria nos olhos e sorrisos dos outros atletas, alguns correndo a sua primeira, outros já veteranos nisto. Ao mesmo tempo vermos coisas que nos tocam muito, como alguém de cadeira de rodas a ser empurrado e a certa altura, por volta do km 30, levantarem-no e ajudarem-no a dar uns passos na sua maratona. São momentos bonitos e tocantes. É isto uma maratona.
 
A uns metros da meta e já com a nossa bandeira nas mãos.

Aquele momento em que se avista o pórtico é mágico. 

4h34m20s depois cruzamos a meta!!!

Estamos super satisfeitos. Mais uma vitória. E com um excelente tempo para as nossas capacidades. Numa maratona com este traçado não é fácil fazer um grande tempo, mesmo assim consegui o meu segundo melhor tempo e o Vítor o seu 3º melhor :) E apesar das dificuldades, percurso duro e calor, fizemos apenas mais  11 minutos que o nosso recorde.

No final uma bonita medalha e o reencontro com o meu pai.


Foi um dia inesquecível e maravilhoso.
À tarde aproveitámos para desentorpecer as pernas andando mais uns km's pela cidade :)
Foram uns dias muito bons em Madrid. E a maratona...sem dúvida que a recomendamos.

Até à próxima aventura!

O casalito octo-maratonista, vestido com as t-shirts da prova,
junto ao símbolo de Madrid "El Oso e el Medroño"

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Corrida dos Sinos, finalmente caiu o meu RP dos 15 km!!!

02.04.2017

Foram precisos 5 anos de corridas para finalmente conhecer a famosa Corrida dos Sinos em Mafra.
Muito me falavam desta prova e do bonito sino que dão sempre no final da prova. Ora todos os anos por esta altura havia sempre alguma coisa que nos impedia de participar. E olhem que o Vitor é um orgulhoso detentor de 6 (agora 7) sinos!

Pois bem, este foi o ano. 
Aproveitando o aniversário do amigo João Lima, combinámos ir todos a Mafra correr e no final um belo picnic com a família Lima.

Não o vou esconder, tinha grandes esperanças para esta prova, direi mesmo quase certezas. O meu recorde pessoal numa prova com 15 km era super antigo, o mais antigo de todas as distâncias! Claro que para isso também contribui o facto de haver poucas provas com 15 km. Toda a maneira, sabia perfeitamente que era capaz. Como têm lido, nos últimos meses bati todos os meus recordes pessoais e na semana anterior bati o dos 10 km, sabia que estava a valer mais que o meu recorde dos 15 km mas...nunca se sabe...também me tinham dito que os Sinos não são uma prova fácil, que à vinda é a subir...Mas eu acreditava :)

Nós com o aniversariante João Lima :)

Foi dada a partida e primeiro demos uma volta dentro de Mafra. Estava muita gente e algum calor.

O homem ultimamente anda muito fotogénico ;)
Vá lá que desta vez até vou a sorrir =P

Depois de dada uma volta dentro de Mafra saímos pela estrada nacional rumo ao Sobreiro. No geral era sempre a descer, deu para manter um bom ritmo...mas depois no regresso seria a subir...
Nesta altura um chico esperto meteu-se conosco, comentando que não íamos a 4 ao km...Mas como se costuma dizer quem ri por último ri melhor ;)

Já no regresso a coisa já vinha a custar, o calor, as subidas...mas mesmo assim íamos com um ritmo que dava larga margem para bater o meu RP, tal como eu esperava. 

Quando me apercebi que estávamos mesmo a chegar ao estádio onde estava instalada a meta fiquei logo toda contente e ainda acelerei mais e de repente vi o tal homem que tinha feito aquele comentário...espera aí que eu já te digo...e ultrapassámo-lo! =P Toma e embrulha! Podemos não correr a 4 min/km mas vamos acabar à tua frente! =P

A festejar à chegada ao estádio.
Sequência de fotos tirada pela Mafalda.


Na descida para entrar no estádio e já na pista ainda acelerei mais pois queria bater o recorde em grande estilo.
E modéstia à parte até conseguimos ;) Reparem bem nestas passadas, os dois com os pés no ar. Eu então acho mesmo que ia a voar :)

E foi assim que facilmente bati o meu anterior recorde de 1h26m fazendo 1h21m38s :)


No final com o também recordista João :)
Caras felizes.



Com os nossos sinos verdinhos.
Finalmente tenho um sino!

Pronto e foi isto. Gostei muito de participar na Corrida dos Sinos e de ter batido o meu recorde mais antigo.
No espaço de 8 dias bati dois recordes, o dos 10 km e o dos 15 km. 

Na semana seguinte aos Sinos fizemos um longo de 21 km a um ritmo mais calmo e no passado domingo fomos só rolar 12 km. Isto porque....
....
....
....
....
....
A Maratona de Madrid é já neste próximo domingo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
AI CA MEDO!!!! ;)

Estamos entusiasmados rumo à nossa oitava mas temos plena consciência que não será fácil, o percurso é duro, começa a subir e acaba a subir (vários km's a subir....) e para ajudar parece que vai estar calor. 
Portanto, o nosso objectivo é terminar e de preferência sem muito sofrimento (keep dreaming...eheheh).

domingo, 9 de abril de 2017

Corrida da APAV, com novo recorde pessoal :)

26.03.2017

João, Aurélio e João Branco atrás e
minha mãe (para mais uma caminhada), eu e Vítor à frente

Nunca tinha participado nesta prova, mas todos diziam ser uma excelente corrida para tempos e como uma preparação para uma maratona não pode ser só longos, resolvemos meter pelo meio uma corrida curta mas a dar o máximo. Sim, nesta seria para tentar dar o máximo! Logo se via se dava ou não para recorde, mas pelo menos queria fazer um tempo próximo.

O dia amanheceu muito chuvoso mas não é uma chuvinha que nos demove :) (mas lá que não apetecia nada levantar da cama a um domingo...com chuva...e cedo....lá isso não apetecia...)

Apanhámos uma bela molha ainda não tinha começado sequer a prova, aquecemos dentro do pavilhão, mais parecia que estava de volta às aulas de Educação Física, a dar voltas dentro do pavilhão do ISCPSI no Calvário.

Com o Nuno Sentieiro Marques e os seus RunLovers =)

A partida foi dada e o 1º km foi algo complicado. Muita gente, chão com buracos ou em paralelo. Alguma confusão, mas mesmo assim conseguimos um 1ºkm rápido a 5.31. Rápido mas não o suficiente se queríamos bater o meu recorde. Tínhamos que acelerar! 

Estava a sentir-me bem e o 2º km já foi a 5.00. Até me apetecia acelerar mais um pouco mas tinha algum receio de vir a quebrar devido a ter puxado em demasia, por isso mantive-me aquele ritmo rápido mas sem abusos. O 3º km foi a 5.03, continuávamos em grande força! No 4º baixámos um pouco a velocidade para 5.09 e no 5º  corremos a 5.08.

No 6º km com a atrapalhação do abastecimento baixámos um pouco para 5.14 e com um 7º a 5.09 a coisa continuava renhida.

Para piorar as coisas praticamente desde o inicio que os km's estavam mal marcados e comecei a achar que a prova não ia chegar a ter os 10 km. Até ia a correr um pouco lixada (já não bastava a chuva....) e a pensar para os meus botões "Logo hoje que sou mesmo capaz de correr isto abaixo dos 52 minutos, é que isto vai ter menos de 10 km!"

Mas felizmente no final deu os 10 km e no meu relógio até me deu mais 40 m. Ufa! :)

Ora íamos nós no 8º km... que corri a 5.12 e entretanto já nos cruzávamos com pessoal que já vinha no retorno que era ainda antes de Algés. A meta estaria colocada em Belém.
O km 9 foi feito a 5.09 e assim que fizemos a curva do retorno o Vitor gritou num tom forte "BORA!" 
Parecia um sargento! Não tive outro remédio senão acelerar =P

Este recorde não me ia escapar!!! E acelerei a 4.50 para cortar a meta com 51m43s. 
NOVO RECORDE PESSOAL AOS 10 KM! =)

Consegui baixar dos 52 minutos, o anterior recorde era 52m11s.
Agora o próximo objectivo é fazer 51 baixo e depois chegar ao minuto 50. E depois...lá chegaremos ;)

Fiquei muito satisfeita com o novo recorde, apenas uma semana após as sub2h numa Meia com imenso calor.
E o mais engraçado é que na semana seguinte voltei a...correr muito rápido nos Sinos.... ;)

Três atletas muito satisfeitos.
João com novo sub50, eu com novo recorde e o Vitor...bem para batermos o recorde dele...upa upa...
acho que ele já se dá por satisfeito por ajudar a bater os meus RP's :)
Obrigada meu Vitor :)

sábado, 1 de abril de 2017

Meia Maratona 25 de Abril, mais uma sub 2h

19.03.2017

Uma meia-maratona é sempre um bom treino para uma maratona. Assim, fomos até Almada para a minha 24ª meia e, ao que parece, para a 34ª meia do Vitor, segundo dados apurados recentemente :)

O ponto de encontro foi em Sete Rios onde apanhámos o comboio até ao Pragal e depois seguimos a pé até ao tabuleiro da ponte. A minha mãe também estava conosco para fazer a mini-maratona. Ultimamente anda muito dedicada às caminhadas, já tem mais caminhadas marcadas do que nós corridas!

Vista de Lisboa a partir do comboio da ponte.
A caminho da Ponte 25 de Abril já com o Cristo Rei ao fundo.
Com a minha mãe antes da separação dos atletas da Meia e da Mini.
Vitor, eu e o João.
Falta o Eberhard e o Aurélio que também estiveram presentes.

Selfie =)

Esteve um dia muito quente e como tal apenas queríamos dar o nosso melhor e se possível fazer sub 2h. Com o calor que estava seria excelente!

Como habitual fiz 2 xixis antes da prova, para o último tive que estar imenso tempo na fila, o Vitor e o João aqueciam aqueciam, davam voltas e mais voltas e quando voltavam lá eu tinha avançado mais um pouco. Fiquei despachada 10 minutos antes da partida, demos só mais uma corridinha de aquecimento e alinhámos à partida. Estamos a falar de uma prova com milhares de pessoas e de uma ponte relativamente estreita, o 1º km é feito em cima da ponte a tentar ultrapassar atletas. Foi o km mais lento da prova, depois foi aproveitar a descida da ponte rumo a Alcântara para recuperar tempo.

Estava imenso calor para meados de Março, mas todos os anos tem sido igual. Apesar desta prova ser em Março e oficialmente ainda é Inverno associo-a sempre a calor. O meu melhor tempo aqui é 2h06m, sabia ser perfeitamente possível bater esse tempo, só não sabia por quantos minutos.

Demos o nosso melhor tendo em conta o calor que se fez sentir. No Cais do Sodré era o primeiro retorno e depois tínhamos uma longa recta até ao Dafundo onde havia novo retorno para depois cruzarmos a meta em Belém. Isto de passar ao lado da meta com uns 15 km e ainda ter que ir lá ao fundo e voltar....custa! E com calor ainda mais.

Cruzámo-nos com alguns conhecidos, quando vimos o João percebemos que apesar de ir para um bom tempo e seguramente sub 2h, ia cansado e estourado com o calor. Mesmo assim aguentou-se muito bem e fez um tempo excelente!

Quanto a nós estávamos a aguentar-nos mas ainda estávamos résvés para fazer as sub2h. Com o calor sentia-me a transpirar bastante e decidi por duas vezes aproveitar os copos de isotónico nos abastecimentos. 

Após o retorno no Dafundo já faltava pouco para a meta em Belém e nos 2 últimos km's tentei forçar um pouco mais o ritmo. O Vitor, como é hábito, parecia que ia na boa...Grrr.... =P

Ainda bem que ele está a esconder a minha cara...eheheh =P

Fizemos um último forcing no km final. Ia dar! Íamos conseguir as sub2h!
1h59m42s foi o nosso tempo final. Com muito mais calor que na Meia de Cascais demorámos apenas mais uns segundos que em Cascais e acabei, apesar de cansada, bem melhor que em Cascais. Foi o meu 5º melhor tempo em meias e a 5ª vez que consegui baixar das 2h. 

Na semana seguinte tínhamos uma prova de 10 km e aí era para, quiçá, bater o meu recorde pessoal. 
Será que consegui? ;)

Três atletas felizes com as sub2h =)

domingo, 26 de março de 2017

Grandes treinos longos rumo a....Madrid!

E a nossa próxima maratona vai ser....em Madrid! =)
Nos últimos tempos, como sabem, temos feito as maratonas com os amigos João e Orlando, mas desta vez eles queriam repetir Sevilha e a nós não nos apetecia repetir uma maratona. Por outro lado também é uma boa oportunidade de vivermos uma maratona só os dois. Uma coisa mais romântica :)
Assim será uma maratona mas também alguns dias de férias a passear em Madrid só nós dois :) Vai ser muito bom!

Pequeno pormenor...a Maratona de Madrid não tem um percurso nada fácil...primeiros km's a subir e últimos km's sempre a subir....
Para ajudar à festa todas as pessoas com quem falamos e que já foram a Madrid dizem que foi a maratona mais difícil que já fizeram. Uma destas pessoas já tem 20 e tal maratonas no currículo!
Portanto, não vai ser nada fácil e vai com certeza ser a maratona mais dura que já alguma vez fizemos, mas estamos a preparar-nos bem para ela :)

Na semana a seguir a termos corrido a Meia de Cascais, decidimos fazer "o" longo, ou seja, o treino de 30 km. Não sabíamos se teríamos muito mais possibilidades para o fazer, por isso assim ficava já despachado. Para quem faz maratonas o treino de 30 km é possivelmente o mais importante, por ser o mais longo. Assim quando acabamos há um sentimento de dever cumprido e de já "só" faltam 12 km :)

Nesse dia (5 de Março) estávamos a sentir-nos bem e durante o treino decidimos que era mesmo para ir até aos 30 km. Estávamos a correr a um ritmo bastante bom, mantendo assim fazíamos à volta de 3h03m, mas acabámos por quebrar um pouco a partir dos 20 km.
O nosso anterior recorde em treino era de 3h14m, batemos isso à larga :) Desta vez fizemos 3h06m!!!! Para nós é brutal!!! Melhor que isto só na Maratona do Porto onde no ano passado passámos aos 30 km com 3h05m.

Ficámos super satisfeitos com este longo, até porque foi conseguido apenas uma semana após uma Meia de Cascais bem rápida.

Uma semana depois dos 30 km reduzimos. Optámos por fazer 25 km na zona do Guincho.
Se por um lado reduzimos a distância, por outro tornámos o treino mais difícil com algumas subidas.
Duas semanas após a Meia de Cascais regressámos ao local da prova mas com algumas variantes.
Começámos o treino junto à Casa da Guia rumo ao Guincho. Sim, tivemos a correr no Guincho naquele fim-de-semana em que esteve imenso vento, mas precisávamos disso, pois correr contra o vento foi um excelente treino.

video

Nos primeiros km's ainda conseguimos correr a 5 e tal ao km, mas quando virámos mesmo na direcção do Guincho e o vento vinha mesmo de frente aí a força do vento era tal que diminuímos a velocidade para 6 e tal. Chegados ao Guincho, a ciclovia vira à nossa direita e começa a subir, são apenas uns 200 m mas é bem inclinado. Retornamos aqui quando fazemos 7,5 km que é para dar 15 km junto ao carro e depois continuarmos 5 km para a frente na direcção da Boca do Inferno e entramos no Paredão de Cascais, voltamos para trás aos 20 km, completando os 25 km junto ao carro na Casa da Guia em 2h40m. Ritmo mais lento que no treino de 30 mas este foi bem mais duro com o vento contra e com umas quantas subidas pelo meio.

Resumindo, foram dois excelentes treinos rumo a Madrid.
Na semana seguinte teríamos também uma excelente Meia da Ponte 25 de Abril e hoje (domingo) uma fantástica prova de 10 km ;) Mas essas histórias ficam para outro artigo ;)

Boas corridas!

segunda-feira, 6 de março de 2017

Meia-maratona de Cascais, no pós esbardalhanço...

26.02.2017

Desde que corro que não tenho falhado esta prova. Até aqui eram os 20 km de Cascais e que eu sempre adorei e pelo qual tinha um carinho especial devido à prova espectacular (para as minhas aptidões) que fiz da primeira vez que estive presente. Este ano a prova é outra, agora é uma meia-maratona. Se por um lado tenho pena que os 20 km de Cascais tenham acabado, por outro considero que esta meia é uma extensão da antiga, até porque o percurso é igual, mas com mais 1 km e picos.

Eu e o Vítor estamos na preparação da nossa 8ª maratona :)
Para já ainda não vou desvendar mais, mas fiquem atentos aos próximos artigos ;)

Ora, estando nós em preparação para uma maratona, toca de fazer longos :) Coisa que eu adoro!
Duas semanas antes da Meia de Cascais decidimos fazer um treino de 24 km. Começámos no Parque das Nações junto à Ponte Vasco da Gama e seguimos sempre junto ao rio na direcção de Lisboa. O objectivo seria voltarmos para trás por volta do km 12. Estávamos a fazer um treino muito bom e até planeámos tentar fazer a segunda parte mais rápida que a primeira mas quis o destino que a história fosse outra....Por volta do km 11, na zona do Cais do Sodré, não sei como fiz aquilo mas de repente tropecei e dei por mim numa queda em slow motion. 

Já no ar ainda pensei que daria para evitar a queda, depois pensei que não ia mesmo dar para evitar a queda mas ao menos tinha que evitar uma queda feia que me pudesse magoar. Caí! Esbardalhei-me! Rasguei as calças, bati com o joelho e esfolei as mãos. (Onde é que eu já vi isto? Há 2 anos atrás no EUL, exactamente o mesmo joelho!!!) Apesar de tudo a coisa não foi tão má como poderia ter sido. Ainda esfolei um bocado a zona do joelho mas deitou pouco sangue, estava mais preocupada com o ter batido com ele no chão. Em alcatrão! O Vitor ajudou-me a levantar, pediu-me para mexer a perna e dobrá-la, coisa que eu conseguia. Comecei a caminhar, mas estava lá uma dorzita da queda, tentei correr e consegui mas sempre que pousava o pé no chão, aquele impacto no joelho...doía um bocadinho...Tive que avaliar a situação. Ok doía, era natural, bati com o joelho, devia estar inflamado, mas não parti nada, conseguia mexer, conseguia andar. Decidi arriscar e fazer os 11 km de volta até ao carro. Por precaução alternámos esta segunda parte do treino entre caminhada e corrida lenta. Acabámos com cerca de 23 km e assim que cheguei a casa pus gelo e desinfectei a ferida. Durante a semana treinei embora lentamente e sem abusos. No fim-de-semana seguinte (e anterior à Meia) por precaução não fizemos um treino longo. Preferi deixar passar um longo para poder estar a 100% na Meia de Cascais e assim foi :)

Chegados ao dia da prova  reunimos com os restantes 4 ao km presentes: Eberhard, João Cravo, Aurélio e Conceição. E também com o João Lima que foi assistir à prova de todos :)

Andavam a distribuir uns cartazes para escrevermos mensagens de apoio, claro que os homens deixaram o trabalho de escrever a mensagem para a mulher... =P Ninguém tinha ideias e eu também não, por isso foi isto:

Mensagem simples mas eficaz :)

E durante a prova o João descobriu que havia outra Isa a correr :)

Obrigada sra. desconhecida :)

Antes da prova houve um minuto de silêncio em homenagem à Analice. Confesso que tive que engolir em seco para não deixar cair as lágrimas, pois foi um momento bonito, com todos em silêncio e só se ouviam as gaivotas. Arrepiante.

O nosso objectivo para esta prova era darmos o nosso melhor e ver o que saía.
Começámos fortes, demasiado fortes, mas íamos a sentir-nos bem...o que querem?
Passámos aos 10 km com 54 minutos, a aguentar aquele ritmo batia o meu recorde, mas eu sabia que não ia conseguir. Era um ritmo demasiado forte para aguentar durante 21 km. E assim foi, quebrei cá com uma pinta...A segunda parte da prova foi um suplicio e as fotos comprovam-no. Lá me aguentei mesmo assim a um ritmo bom, mas já não era o ritmo inicial como é natural. Só queria andar....eu queria andar...mas eu não podia andar, dizia para mim mesma. "Vais andar numa meia? E quando chegares à maratona Isa, como é que vai ser?"...Comecei a dizer palavrões e quem me conhece sabe que eu muito, mas mesmo muito raramente solto palavrões. Mas em corridas difíceis ou particularmente duras elas às vezes saem-me em turbilhão. E é assim que o Vitor sabe que eu vou a arrastar-me eheheh. Ao contrário dele que vai na boa... A sério...vejam-me as fotos seguintes e vejam o ar do Vitor, a sorrir e a posar para as câmaras...e agora comparem com o meu...dá para sentir o meu sofrimento?...

Ya ya...já percebi que para ti está a ser um passeio à beira mar...
Que bom para ti....grrr

Tipo...a sério Vitor? A sério?
Eu para aqui a sofrer...e tu como se nada fosse...
OUTRA VEZ???


Resumindo, fizemos uma primeira parte de prova fantástica e uma segunda que nem foi má de todo, mas em que sofri imenso! No retorno cruzámo-nos com muita gente conhecida, a todos eles tentei acenar porque para gritar tinha poucas forças, acho que só gritei pela Oriana, pois não estava à espera de a ver e porque ela gritou por mim ao mesmo tempo que se apresentava :) Obrigada pela força :)
E obrigada a todos os outros por quem passámos e que nos gritaram palavras de incentivo. Se só acenei e parecia extremamente mal humorada é porque estava estoirada.

Mesmo assim, no final ainda forcei um bocadinho pois percebi que ainda poderia dar para baixar das 2h. E deu :)

1h59m28s numa meia muito custosa parece-me bem. Em 23 meias foi o meu 4º melhor tempo e também a 4ª vez que consegui baixar das 2h. Nada mal tendo em conta o quanto me custaram os últimos km's.

Assim que acabei morri. Ou se não morri parecia que tinha morrido de tal estoirada e sem forças me sentia.


Vítor mega feliz, eu claramente a forçar o sorriso.

Ainda falámos um bocadinho com a Sofia que fez um tempo mega brutal e que bateu o seu recorde pessoal. Muitos parabéns :)

E depois fomos ter com o João e conversámos um pouco enquanto não chegava mais pessoal da equipa.

Foto final onde já consegui um sorriso menos cansado :)
Cravo, Vitor, eu, Conceição (na caminhada) e Aurélio.
Falta aqui o Eberhard que ainda não tinha chegado.

Foi uma bela manhã, fizemos um belo tempo, porra mas aqueles km's finais foram mesmo muito sofridos!!!
Mas....
....
....
VENHA A PRÓXIMA! ;)