quarta-feira, 28 de maio de 2014

O pós São Mamede

....Pernas doridas...uma maneira estranha de andar...o normal depois de uma prova daquelas ;)

Voltei aos treinos na terça-feira com o amigo João Lima. Estava um dia lindo...mas chuvoso...Com uma rapariga ainda em recuperação e com um rapaz que ultimamente não tem tido sorte nenhuma (mas a sorte está a mudar!) fizemos apenas 3 km sobre forte chuvada. Nem 500 m tinhamos completado e já estávamos encharcados até aos ossos! Não me lembro de ter apanhado tamanha molha durante as minhas corridas no Inverno. Talvez só no dia da Stephanie.

Depois disto só voltei a correr na sexta-feira. E pelo meio fui ver futebol a sério! Daquele que já raramente se vê os homens jogar pois passam o tempo a atirar-se para o chão...
Final da Liga dos Campeões Feminina. Mas que grande jogo!!!



Na sexta-feira voltei a correr, desta vez já com o meu Vitor. Fomos ao EUL correr 5 km e já foi muito! Gémeos ainda não recuperados. Salva-se a companhia.

No domingo lá fomos nós para mais um treino. Desta vez decidimos ir até aos passeios marítimos de Oeiras e Carcavelos. Mal começámos senti os gémeos novamente presos. Não se previa grande treino. Nem 600 m percorridos e encontrámos o João que vinha a terminar o seu treino. Parámos um pouco e estivemos à conversa. Foi bom ver uma cara conhecida, principalmente alguém tão bom amigo como o João.
Seguimos o nosso caminho em direcção a Carcavelos mas definitivamente estávamos com pouca energia. Para não falar dos meus gémeos...Até parámos para o Vitor me fazer uma massagem que aliviou mas não fez milagres quanto à falta de energia. E assim terminámos com apenas 6 km. 
Esperemos que esta semana corra um pouco melhor pois no domingo vamos à bela terra da Pampilhosa da Serra :)

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Trail longo de São Mamede, uma aventura e tanto!

Portalegre, para sempre nas nossas memórias.

Vamos lá então relatar a experiência fantástica que foi correr pelos montes e vales da Serra de São Mamede na companhia duma pessoa muito especial, o Vitor. Quem mais poderia ser? :)

Ainda estamos parvos com o que conseguimos e ainda estamos parvos com a surpresa que dois malucos nos fizeram :) Eu pelo menos estou tão parva que já sonho com voos mais altos...

Para esta prova os meus maiores receios eram o tempo-limite (10h) e o calor (a rondar os 30ºC). Estes factores conjugados podiam tornar a coisa bem complicada. Nunca antes tinhamos feito uma prova tão longa em trilhos, portanto não sabíamos como nos iriamos portar. Mais uma vez a nossa sina numa maratona seria o sol e o calor.

Passámos a semana a emborcar água, queriamos chegar ao grande dia bem hidratados.
Para além disso não podia falhar nada. Protector solar, vaselina, muita água e muita comida, geis, barras, pistácios, cajus, isotónico e até bolo de noz feito por mim levei na mochila! 

Na noite anterior levantámos os nossos dorsais que vinham acompanhados duma t-shirt linda e de uma caneca. Ficámos a ver um bocado do concerto da banda que tocava músicas dos Pink Floyd e ficámos ali a observar a correria do pessoal que iria partir à meia-noite para os 100 km. Encontrámos o amigo Magro e tivemos um pouco à conversa com ele e desejamos-lhe boa sorte.
Não assistimos à partida dos 100 km pois ainda tinhamos que acabar de preparar as nossas coisas e às 05h30 estaríamos a pé.

E assim às 5h30 acordámos, equipámo-nos e seguimos para o estádio. Já lá tomámos o pequeno-almoço, bolo de noz, bananas e palmiers...ups...enganei-me...queria dizer...croissants ;). Em seguida entrámos no autocarro que nos levaria até Marvão, o nosso local de partida. Era muito cedo e estávamos ainda meio a dormir. Só de pensar nos atletas que já estavam a correr pelos montes desde a meia-noite...Que loucura!

Em Marvão, abastecimento dos valentes dos 100 km.

Assim que chegámos a Marvão já haviam atletas dos 100 km a chegar ali com cerca de 60 km...Nada de especial...Gritávamos-lhes força para animá-los um pouco.

Os dois amarelinhos a sorrir. Taditos, nem sabiam no que se estavam a meter.
Obrigada Jorge Goes pela foto.

Recebemos também mensagens dos amigos e colegas de equipa João Lima e Marta a desejar boa sorte e que no final queriam notícias...Queriam notícias....Espertos... ;)

Com essas caras de sono devem ir longe devem...
Ficam já ali no 2ºkm à sombra do chaparro...

Antes da partida um senhor da organização fez um aviso que foi mais ou menos assim:
"Quero chamar a atenção que esta prova é muito dura e a primeira subida é das mais duras...Já houve vários atletas dos 100 que desistiram...Não quero assustar ninguém mas tem de ser assim, vocês têm de estar preparados, hidratem-se muito bem e reponham os sais perdidos..."

Assustar? Nah....Eu só soltei um risinho nervoso depois de ouvir isto mas tudo bem...
E assim às 9h começou a aventura. Nas próximas horas estaríamos pelo meio dos montes. YES!

Tudo começou bem, ainda em Marvão. Saímos da zona das muralhas pois a organização tinha logo uma bela subida preparada para nós. A vista era deslumbrante até Espanha e por cima de nós planavam águias. Simplesmente lindo!

Para aquecerem bem toca a subir isto...
Agora imaginem quem já vinha com 60 km em cima...
Sai uma pessoa da cidade para evitar filas de trânsito e depois é isto...
Lá no fundinho fica Espanha.

Depois desta subida que apesar de tudo até se fez bem, corremos um bocadinho dentro de Marvão.
Marvão é lindissimo! Já tinha lá estado com o meu pai e agora foi bom poder percorrer as ruas a correr com o Vitor.
Quando saímos de Marvão, foi descer, descer, descer em calçada romana. Tudo o que desce...mas a verdade é que eu já estava farta de descer, foram mais de 2 km sempre a descer mas afinal não foi preciso ir a rebolar... =P
Depois apanhámos uma parte plana, onde podiamos ver o castelo de Marvão lá no alto mas aproveitámos foi para correr.
Eu e o Vitor tinhamos um plano para esta prova. Sempre que fosse plano ou a descer era para correr, excepto algumas descidas mais complicadas.
Chegámos a Portagem onde tivemos de passar o primeiro de poucos ribeiros ao longo da prova.

Pezinhos frescos. Check!

Zona plana! Toca a correr! Sentia-me bem, o Vitor sentia-se bem. Estávamos contentes por nos estarmos a sentir tão bem.

Lá vai o meu anjo da guarda.
Vê-se mesmo que ainda íamos no inicio.... ;)

Paisagens bonitas mas que seriam ainda mais bonitas quando vistas de um sítio mais alto...
Toca a subir!



Depois de subirmos um bom bocado, sempre ao sol,  chegámos a nova zona plana. Toca a correr! E depois....toca a descer que o abastecimento já não está longe!

E eis que avistamos um oásis em pleno Alentejo. Batatas-fritas, bananas, laranjas, tostas, marmelada, bolos. Também havia tomate e sal. Primeiro pensei que sal fazia mais sentido para os atletas dos 100. E tomate? Para quê comer tomate quando posso comer batatas-fritas? Hehehe ;) 
Mas depois o Vitor viu outro atleta a tirar uma rodela de tomate e a temperar com sal. E assim decidimos imitá-lo. E assim descobri o céu! Gente, vocês nem imaginam o bem que soube aquele tomate com sal! Eu sei que podemos fazer a mesma coisa em casa mas...ACREDITEM, não é a mesma coisa! Desde São Mamede que sonho com aquele tomate com sal e basicamente passei a prova toda entre abastecimentos a sonhar com o tomate com sal. Oh coisa divina!

O manjar dos deuses.
Foto: Facebook UTSM

Outra "regra" que definimos foi que não demoraríamos mais que 5 minutos em cada abastecimento. Neste primeiro abastecimento que surgiu por volta dos 12,5 km aproveitei ainda para tirar uma pedrinha que tinha entrado para dentro dos ténis e depois seguimos caminho. Continuámos a descer, depois chegámos a uma zona plana e depois voltámos a subir. 

Os primeiros de muitos amigos com quem confraternizámos ao longo da prova :)
Um atleta giraço que andava por lá....

Aqui já se sobe.
Por enquanto ela continua a sorrir.

À medida que vamos vivendo esta aventura há quem viva uma aventura bem maior, os 100 km. Sinto-me bem pequenina quando passo ao lado destes ultra-atletas! Falo com todos, dou-lhes força, dou-lhes os parabéns pela coragem, pelo desafio. A maioria vai em silêncio e, nota-se, cansada mas mesmo assim continuam em frente. Incrível! Grandes homens e grandes mulheres!

E eis que estamos quase a chegar a novo abastecimento por volta do km 18,5. Neste abastecimento temos uma pequena suspresa...O abastecimento está mesmo ali mas para lá chegarmos....


Para lá chegarmos toca a subir até a um santuário, mas a vista lá de cima vale bem a pena.

Castelo de Vide
Confirmo. Valeu a pena subir até aqui.
O Vitor a tirar as habituais fotografias.
Fresquinhos apesar do calor.

Como se já não bastasse subir vários degraus...a descer foi assim:

À corda...
Foto tirada do Facebook do UTSM

Mas pelo tomate com sal eu faço tudo!!! :)
Aproveitámos para encher as nossas garrafas de água e mochilas e seguimos novamente caminho.
Não tarda nada estariamos a chegar à distância da meia-maratona com cerca de 3h45 se não estou em erro. As perspectivas eram muito boas. Se até aqui só queríamos era terminar dentro do tempo-limite das 10h, a partir daqui permitimo-nos começar a sonhar com tempos, embora soubessemos perfeitamente que o pior ainda estava para vir, hora de maior calor e já com mais km's nas pernas...

Mas claro que o pior ainda estava para vir. É fácil de perceber qual foi a parte que nos custou mais, é onde temos menos fotos...
Uma e tal da tarde, sol, calor, zero sombras, ar seco. Não foi fácil. Seguimos ao lado de um atleta dos 100 durante algum tempo. Também ele falou no calor, na falta de sombras. E ele já ia com uns 80 km...
Íamos numa zona plana onde dava para correr mas com aquele sol não apetecia nada. Eu já ansiava por umas subidas, assim tinha desculpa para andar...E foi quando nos apercebemos que nos tinhamos enganado no caminho. Onde estavam as fitas? É o que dá irmos uns atrás dos outros...basta um enganar-se e está o caldo entornado. Felizmente o engano não foi muito grande, duas ou três centenas de metros. 

Depois deste pequeno engano chegámos finalmente a uma zona de sombras e a subir. A partir daqui foi praticamente um caminho de cabras, muitas pedras. Mesmo quando era plano não era fácil correr. Rapidamente ficámos isolados, não se via mais ninguém. Iamos os dois calados e quando falámos foi para dizer um ao outro que já não íamos tão bem. Sempre em sintonia, até nos momentos menos bons.

Foto tirada às 14h28m.
Eu bem tentei mostrar os dentes mas isto foi o melhor que consegui.

Nesta altura enviámos a terceira sms ao João e desta vez tudo o que escrevemos foi 32 km, +-. Rapidamente recebemos nova mensagem dele a dar-nos força. Não estávamos mal, atenção. Simplesmente já não estávamos tão frescos. Eu já só via tomate com sal à frente. Era tudo em que pensava. Tomate com sal, tomate com sal, tomate com sal.

Entretanto chegámos a um abastecimento de água, já era o segundo desde o último dos sólidos e reabastecemos novamente. Os abastecimentos estiveram 5*, 4 abastecimentos de sólidos e líquidos e mais 2 só de água. Mais à frente haveria o terceiro abastecimento de sólidos e eu continuava a sonhar com o tomate com sal. Quando lá chegamos....ONDE ESTÁ ELE? Tomate com sal nem vê-lo!!!
Mas rapidamente os perdoei quando avistei fatias de pizza! PIZZA!!! Nem digo quantas fatias comeu o Vitor... ;) eu cá "só" comi duas e foi porque tive vergonha de comer mais. 
Só mais tarde ao ver fotos da organização é que descobri que neste sítio havia uma piscina.... 

Uma piscina...Se a gente soubesse...Se os atletas dos 100 soubessem...
Já ninguém saía dali!
Foto tirada do Facebook do UTSM

Depois da pizza ficámos visivelmente melhor e continuámos. O nosso recente objectivo era acabar antes das 8h. Era perfeitamente possível, tinhamos conseguido manter um bom ritmo durante a prova. 

Houve uma vez ou outra que atravessámos pequenos riachos onde eu aproveitava sempre para me refrescar.

"Que é que estás a dizer Vitor?
Eu? Sair daqui do fresquinho? Deve ser deve..."

E depois disto voltámos a encontrar amigos. Desta vez foi um encontro imediato. Os bicharocos mesmo ali ao pé, sem nada a separar-nos...

Ele (ou ela) está a olhar para nós porque eu como
sou uma pessoa bem-educada cumprimentei-os.
Ou é por isso ou então está a olhar para nós e a pensar "Que belo petisco"....

E pouco depois deste encontro tão fofinho, surge isto no chão:

Abram o champanhe!!!

Ficámos tão felizes que até nos lembrámos de voltar a tirar fotografias.




E depois da última subida, vinha a última descida. Esta sim podia ter sido feita a rebolar! Tinha cá uma inclinação! O meu joelho começou a chiar. Correr aqui? Só os malucos! Todo o trabalho que tivemos a ultrapassar pessoal em zonas planas e em subidas era agora perdido pois esta gente é completamente doida e desce isto como se nada fosse. Eu cá estou bem assim viva, obrigada.

E assim chegámos ao último abastecimento com a certeza que íamos acabar abaixo das 8h. Isto se a prova tivesse 42 km.... Quase que nem nos demorámos aqui, tal a pressa de chegar à meta. Mas ainda havia uma surpresa...uma escadaria interminável!

A escadaria da Pena vista de baixo. É que nem  se vê o cimo!

Quando iniciámos a descida um simpático senhor diz-nos que temos pela frente mais de 200 degraus!!!! 200!!!!! Temos quase 40 km em cima das pernas, acabámos de descer uma ravina onde os travões até chiaram e agora temos 200 degraus para descer?????????? 
Só de pensar no pessoal dos 100....

Mais tarde viemos a descobrir que na realidade eram cerca de 270 degraus....Coisa pouca portanto...

Vamos observar um pouco melhor a bela da descida feita para rebolarmos e a bela da escadaria...

A vermelho a descida para fazer a rebolar.
A amarelo a escadaria.
Um pouco de zoom para vermos melhor a descida até ao abastecimento.
Um pouco de zoom para vermos melhor a escadaria da Penha.

E depois destas descidas fantásticas nada como chegar cá abaixo e ver escrito no chão..."Já só faltam 4 km"...Humm? Quê? O Vitor olha para o relógio e percebemos que a prova não vai ter 42 km...
Contas feitas e parece que isto vai dar cerca de 44,5km...Humm...Tá bem...

A partir daqui era alcatrão e ainda um pouco de terra batida mas sempre plano. Já mal conseguimos correr. Eu já não corria, eu arrastava-me. Quando chegámos aos 42 km íamos com 7h40. 1000x melhor do que sonhámos! Ia ser difícil chegar antes das 8h, mas já não nos importávamos. Tinhamos chegado bem antes das 8h aos 42 km, agora era só continuar em frente até à meta. Já não corriamos. Sombras zero. Eu ia só a pensar que íamos fazer mais de 44 km! Que loucura!



E de repente subimos uma pequena colina de relva e avistamos o estádio. Digo alto "Que bela visão." Já o Vitor diz "Olha-me aqueles malucos!!!" Penso que está a referir-se aos "malucos" que fizeram os 100 km ou a alguns malucos que estejam lá a apoiar alguém. Mas de repente percebo de quem ele está a falar e fico sem palavras quando avisto duas camisolas amarelas...Eu não acredito!!
Só posso estar a ter uma miragem. Não...Não pode ser...Não são eles...Eles em Portalegre?!? Nah....O sol fez-me mesmo mal...Mas...SÃO MESMO ELES!!!! O João e a Marta!!!! Vieram ver a nossa chegada! Estão ali a apoiar-nos! Mega espectacular!!!

Dão-nos força, dão-nos os parabéns mas ainda falta um bocadinho. Eu e o Vitor retomamos o passo de corrida e entramos no estádio. Falta a volta à pista, a volta da consagração. E de repente temos a meta mesmo em frente e dois grandes amigos a filmarem tudo e com um cartaz a dar-nos os parabéns. Que grande chegada! Que momento único! Não há palavras suficientes.

Cortamos a meta 8 horas e 4 minutos depois de termos partido e com 44 km e 500 m completados. Muito melhor do que os nossos sonhos. Uma aventura e tanto!

Sorrisos que dizem tudo.
Nós sonhámos e conseguimos :)
Obrigada amigos.
Após a chegada eu só me queria sentar. E que bem que me soube quando o fiz!


Depois foi tempo de petiscar uns belos rissóis, croquetes e bolinhos que o João e a Marta nos trouxeram. Trocar de camisolas, tirar os ténis e as meias (oh que maravilha!!!!) e calçar uns chinelos (oh que dupla maravilha!!!) e ir almoçar/jantar ainda no estádio.
Só mais tarde viria o tão merecido banho e o tão merecido descanso.

Vejam só esta coisa linda que recebemos!

Foi uma maravilha de prova. Nunca esqueceremos este dia. 

Obrigada a todos pelo vosso apoio.

Muito obrigada Marta e João. Nunca esqueceremos o vosso gesto. Foi uma alegria ter-vos presentes neste dia tão especial. Foi uma verdadeira surpresa, uma excelente surpresa. OBRIGADA AMIGOS!

Vitor, mais uma vez vivemos um momento maravilhoso e marcante. Partilhámos alegrias e dificuldades e juntos conseguimos vencer este ultra desafio. Um dia muito especial, um fim-de-semana fantástico. Obrigada por tudo o que significas para mim. 

Fomos felizes em Portalegre.
E voltaremos a ser :)

segunda-feira, 19 de maio de 2014

São Mamede e a ultra felicidade

CONSEGUIMOS!!!!!

44,5km e 8h04m depois foi isto:

video

Foi uma aventura inesquecível que vivi ao lado do Vitor e com algumas surpresas pelo meio como por exemplo os 2,5 km a mais...ou...a melhor das surpresas...a presença dos amigos João e Marta.

Momentos inesquecíveis que serão relatados em mais um livro :)

Foi incrível!!! Foi mesmo incrível!!!

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Aqui vamos nós a caminho de São Mamede


Daqui a 24 h estaremos a partir para mais uma aventura a dois. 
E que aventura! 42 km pela Serra de São Mamede. Várias horas de divertimento, sofrimento, alegria, frustração. Emoções fortes portanto.

Mal podemos esperar!

Obrigada por toda a vossa força!

Que comece a aventura!

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Treino com Jéssica Augusto

No passado sábado fui com o Vitor e com o João ao Jamor para um treino com a Jéssica Augusto. 
Eu e o Vitor tinhamos planeado um treino em trilhos mas não podiamos desperdiçar uma oportunidade como esta. Não é todos os dias que podemos estar e treinar com a  grande atleta Jéssica Augusto.

Chegámos bem cedo e assim até tivemos oportunidade de ser os primeiros a tirar fotografias com ela :)
Claro que todos aproveitámos para comprar o livro dela e tê-lo autografado.

Grande sorte que a Jéssica teve por conseguir tirar uma
fotografia com 3 elementos dos 4 ao km ;)

Depois de uma breve apresentação do livro e de a Jéssica ter respondido a algumas questões saímos do auditório e fomos lá para fora fazer um aquecimento. Após o aquecimento dividimo-nos em grupos. Nós seguimos com um dos grupos mas acabámos por nos perder dele durante o treino. Claro que foi por uma boa causa, a SIC estava lá e ao ver os amarelinhos não os quis deixar escapar...hihihihihi =P

Entretanto reencontrámos o companheiro Isaac e acabámos por fazer o nosso treino os 4.

Vitor, Isaac e João no Jamor.
Uma maluca que por lá andava...
O treino foi um pouco curto mas muito agradável. No final fizemos mais uns alongamentos e ainda estivemos a fazer festinhas à cachorrinha da Jéssica Augusto. Uma ternura!

Para a posteridade fica também a habitual selfie:


Depois deste treino, eu e o Vitor aproveitámos que já estávamos no Jamor e continuámos a treinar pela zona da mata do Jamor.


Vimos alguns coelhos mas os bicharocos são rápidos como ó raio! 
Estava algum calor e como já era meio-dia custou-nos um bocadinho mas como neste dia faltava apenas uma semana para São Mamede não valia a pena estar a fazer grandes treinos. Pelo contrário, até nem convinha abusar por isso foi um treino curto mas agradável na companhia do meu Vitor.

No dia a seguir fomos andar novamente de bicicleta. Agora que re-descobrimos o quão bom é andar de bicicleta não queremos outra coisa! :)

Fomos de Cascais até ao Guincho e voltámos. Nas calmas e a desfrutar do momento. 
Grandes momentos que temos partilhado. E o próximo grande momento está já aí ao virar da esquina...Claro que estou a falar de São Mamede :) Esta semana tem sido só preparativos, água, massas, preparativos, água, massas, preparativos, água, massas. Ansiosos por dia 17!